A partir de 4.000,00 AKZ/Ano
www.

Objectivo e Âmbito

Objectivo

O presente Manual visa a divulgação do código de ética individual e colectiva que deve orientar os quadros e demais trabalhadores da Empresa, de forma a manter uma apropriada harmonia na sua estrutura social e a preservar uma imagem pública consentânea com a sua missão e importância para o País e com a sua projecção a nível internacional.

Âmbito

O Código de Ética não substitui os Manuais e Regulamentos Internos, nem as obrigações e deveres próprios da relação jurídico laboral entre a Empresa e o Trabalhador, tal como estão definidos na Lei Geral do Trabalho, constituindo-se, pelo contrário, num conjunto de princípios e normas de adesão voluntária.

A Administração da Empresa ao adoptar um Código de Ética, assume-o como uma norma de conduta e de referência para toda a empresa.

Ao Código de Ética devem aderir quer os trabalhadores possuindo uma relação jurídico laboral com a ITELnet, S.A., quer os trabalhadores contratados através de qualquer entidade e que prestem serviço integrados na estrutura da empresa.

A adesão ao Código de Ética da ITELnet é feita através de um compromisso escrito, cujo modelo é reproduzido em anexo.

A observação do presente Código de Ética não impede a aplicação simultânea de regras de conduta de grupos profissionais específicos.

Critérios de Actuação Colectiva

Critérios de Actuação

A ITELNet tem como critérios essenciais para a sua actuação os seguintes:

  1. A satisfação cabal das expectativas dos seus clientes;
  2. A procura de soluções que ajudem a diminuir o fosso digital existente em Angola entre s angolanos e entre Angola e os ditos países desenvolvidos procurando distribuir "saber" por um valor justo;
  3. O respeito pelo interesse público;
  4. O respeito pela concorrência;
  5. A valorização e dignificação dos seus recursos humanos;
  6. A remuneração adequada dos capitais investidos na empresa;
  7. A manutenção da solidariedade institucional e da responsabilidade social;
  8. A condução dos negócios segundo os mais elevados padrões éticos;
  9. O respeito pela segurança de pessoas e bens;
  10. O apoio na defesa e protecção do meio ambiente;
  11. O apoio ao desenvolvimento e à inovação no domínio das áreas em que actua.

Normas de Conduta Individual

O cumprimento da missão e a materialização do objecto social da ITELnet, dentro dos critérios de actuação, exigem a sujeição de todo o seu colectivo de trabalhadores a um conjunto de valores e deveres, que devem constituir referências permanentes nas relações internas de trabalho, na forma de executar as tarefas e na conduta perante os clientes, os fornecedores e a sociedade em geral.

Valores Fundamentais

Responsabilidade individual - O trabalhador da ITELnet responde perante o seu superior hierárquico e perante a Administração pelo cumprimento das normas legais e regulamentos internos em vigor. O grau de responsabilidade afere-se pela posição hierárquica do trabalhador e pela natureza da missão que lhe está confiada.

Lealdade - O trabalhador da ITELnet preserva a todo o custo a lealdade para com a sua empresa, não negociando nem agindo em concorrência contra ela, por sua conta própria ou por conta alheia.

Integridade - O trabalhador da ITELnet abstêm-se de receber de terceiros qualquer espécie de gratificação, pagamento ou favor em condições susceptíveis de criar a quem o presta, expectativas de favorecimento nas suas relações com a Empresa.

Solidariedade - O trabalhador da ITELnet cultiva e demonstra espírito de solidariedade, quer na realização das actividades do órgão em que está integrado quer na defesa dos interesses legítimos da Empresa perante terceiros.

Independência - O trabalhador da ITELnet assume atitudes regidas por critérios de independência, seriedade e imparcialidade nas relações com terceiros, fazendo prevalecer sempre os interesses legítimos da sua empresa.

Segredo Empresarial - O trabalhador da ITELnet sabe que o segredo é a alma do negócio e por isso faz do sigilo profissional uma norma de conduta permanente.

Qualidade - O trabalhador da ITELnet tem consciência que a Qualidade é um factor fundamental de sucesso pessoal e empresarial e por isso faz da Excelência um objectivo pessoal.

Respeito pelo Cliente - O trabalhador da ITELnet sabe que o Cliente, independentemente da sua importância relativa, constitui a verdadeira razão de ser da Empresa e do seu posto de trabalho e por isso respeita-o em todas as circunstâncias e como tal tem que posicionar todos os dias no lugar do cliente e questionar-se... "Se eu fosse cliente hoje compraria aqui?" ... Se a resposta for não o trabalhador é convidado a ter uma acção proactiva junto dos seus speriores hierárquicos de forma a que juntos consigam alterar esse cenário e procurar melhores soluções.

Deveres Éticos

Ponderação de Interesses - O trabalhador da ITELNet deve colocar o respeito para com os princípios morais, para com a Lei e para com os mais altos interesses da Empresa que serve, acima de quaisquer outros interesses.

Conciliação da Disciplina com a Iniciativa Pessoal - O respeito devido aos superiores hierárquicos não impede o trabalhador da ITELNet de ter iniciativas e formular propostas criativas e inovadoras, sempre que o entenda conveniente, mas nunca em prejuízo da obediência devida às ordens e instruções legítimas dos seus superiores hierárquicos.

O Dever de Prestar Contas - O trabalhador da ITELnet está obrigado à prestação regular de contas ao seu superior hierárquico a respeito de tarefas e missões de que esteja incumbido, as quais serão quantificadas e avaliadas objectivamente.

Profissionalismo - O trabalhador da ITELnet deve dedicar o seu melhor esforço e competência no cumprimento das tarefas que lhe estão confiadas, pugnando pelo aperfeiçoamento contínuo das suas capacidades profissionais, quer por sua iniciativa directa, quer com o apoio da Empresa.

Desempenho e Retribuição - O trabalhador da ITELnet deve ser eficaz no desempenho das suas funções dando à Empresa um dia de trabalho efectivo por cada dia efectivo de remuneração que aufere.

O Dever de Estudar - O trabalhador da ITELnet deve assegurar-se do conhecimento das leis, regulamentos e instruções internas em vigor e desenvolver um esforço permanente e sistemático na actualização dos seus conhecimentos. O trabalhador com responsabilidades de gestão deve proporcionar ao pessoal na sua dependência, o conhecimento, a informação e a formação, necessários àquele efeito.

Reserva e Discrição - O trabalhador da ITELNet deve usar sempre da maior reserva e discrição, evitando a divulgação de factos e informações de que tenha conhecimento no exercício das suas funções e que se não destinem a divulgação externa.

Aproveitamento em Benefício Próprio - O trabalhador da ITELNet não deve utilizar em benefício pessoal ou de terceiros, informações de que tenha conhecimento no exercício das suas funções, nem bens da empresa que lhe estejam confiados e que não sejam para uso pessoal.

Parcimónia e Eficiência - O trabalhador da ITELNet deve procurar sempre os meios e as formas mais eficientes e económicas de realizar as suas tarefas, fazendo sempre uma utilização criteriosa dos bens da empresa que lhe estão confiados, evitando o desperdício.

Preservação do Prestígio da Empresa - O trabalhador da ITELnet deve abster-se de invocar a sua qualidade de trabalhador ou responsável, em situações em que tal invocação possa resultar em prejuízo do prestígio da sua empresa e abster-se igualmente de comportamentos, quer no exercício das suas funções como fora delas, que possam por em risco quer a imagem pública do trabalhador como da sua empresa.

Manutenção do Espírito de Equipa - O trabalhador da ITELNet deve manter e cultivar um relacionamento correcto e cordial com os colegas e superiores hierárquicos, de modo a contribuir para o fortalecimento do espírito de equipa, de inter-ajuda, de crítica saudável e de solidariedade empresarial, mantendo sempre os interesses legítimos da empresa em primeiro lugar.

O Dever de Informar - O trabalhador da ITELNet deve informar o seu superior hierárquico dos factos de que tome conhecimento, susceptíveis de prejudicar os interesses da empresa ou do seu colectivo de trabalhadores. O trabalhador da ITELNet, que no exercício da sua actividade seja chamado a intervir em processos de decisão que envolvam directa ou indirectamente organizações com que colabore ou tenha colaborado, ou pessoas a que esteja ou tenha estado ligado por laços de parentesco, deve comunicar ao superior hierárquico a existência de tais ligações.